Chamemos-lhe o “rebenta a bolha” – A Cavitação

A temporada do biquini 2017 está quase a chegar!

 

O bom tempo já espreitou, mas o Inverno ainda não recuou!

No entanto e apesar do velho ditado em “Abril águas mil”, penso xiiiiiiiiii…. que não tarda nada quero vestir o biquini e as desgraças vão ficar à mostra….

Se neste momento comparássemos esta nossa “luta” com um jogo de futebol, qual a equipa que ganhava?… Em que ponto se encontra?… Empatada, a ganhar ou a perder?… Eu prefiro estar do lado da equipa ganhadora, mas confesso que ADORO comer! Mais, como por duas razões: por tudo e por nada! Quantas de nós somos assim? Divididas entre o prazer de comer e o desejo de estar magra?…

É uma chatice ter um cérebro de comilona e querer ter um corpo de magra…

Não acredito em passar fome nem privar-me do que me faz feliz, no entanto equilíbrio, qualidade e quantidade do que se come é realmente essencial! Não sou nutricionista, e como tal remeto-me à minha ignorância neste aspecto. Apenas vos poderei dar dicas que são do conhecimento geral e bom-senso… Não apoio dietas radicais e aconselho vivamente um especialista na área de nutrição ou um endocrinologista, de acordo com as vossas necessidades, porque por mais bom-senso que tenhamos, por vezes precisamos de um “polícia” e conselheiro.

São vários os tratamentos existentes no mercado para a gordura localizada, das massagens à cirurgia estética, aos mais variados aparelhos.

Hoje vou falar da Cavitação!

Surgiu no mercado há alguns anos foi apresentada como um substituto à cirurgia estética… A loucura!

Mas afinal para que serve e o que é a Cavitação?….

 

 

Conhecido como a lipoaspiração não invasiva e indolor, é um fenómeno físico de ressonância acústica que emite ondas de som (ultra-sons de baixa frequência), medidas em kilohertz (khz), sobre uma estrutura sólida, que geram micro bolhas que colapsam e implodem, rompendo os adipócitos.

As moléculas de água existentes nos adipócitos, quando sujeitas aos ultra-sons reagem e vibram a grandes velocidades. Nisto, a pressão entre as moléculas diminui e formam-se micro-bolhas (estão a ver quando fervem água?… É parecido) que implodem e libertam uma onda de choque suficientemente forte para romper a membrana dos adipócitos, liquefazendo os nódulos de gordura, que por sua vez são absorvidos pela corrente sanguínea e linfática para serem eliminados através da urina.

Se o seu objectivo é a melhoria do aspecto corporal, com uma perda evidente de volume, e remoção de gordura localizada, este é um dos tratamentos dermocosméticos aconselhados. Ideal para zonas como glúteos, abdómen, coxas e flancos.

Mas atenção! Não confundam gordura (adipócitos) com celulite!

Os adipócitos são células altamente especializadas, com a função de armazenar energia sob a forma de gordura (lípidos), sempre que nos portamos mal e ingerimos mais calorias do que as que consumimos.

É a nossa “bateria privada”. Em alturas de baixa ingestão de calorias, libertam energia sob a forma de ácidos gordos, dando-nos a energia necessária para podermos continuar a funcionar.

A cavitação é para todos?…

NÃO! Se tem doenças hepáticas ou cardíacas, diabetes ou epilepsia, se está grávida ou em período de amamentação, se tem elevados índices de triglicéridos ou colesterol, cicatrizes, hérnias, ou doenças de pele na zona a tratar, implantes no ouvido ou “pacemaker”, NEM PENSAR! Assim com não recomendamos a cavitação a adolescentes.

É preciso ter algum cuidado durante os tratamentos?

É essencial a ingestão diária de pelo menos 1,5lt de água!

Uma alimentação equilibrada e exercício físico são a melhor maneira de evitar a formação de novas células adiposas, que deformam e aumentam o volume do seu corpo. Cuide-se! Não há milagres. Estes tratamentos são eficazes, mas mais uma vez repito: o que fazem no vosso dia-a-dia, é o que mantém o resultado.

Nesta novela que mais se assemelha a um filme com várias sequelas, tipo Rambo, apresentarei várias soluções para este vilão que tanto nos atormenta. Não perca os próximos episódios!

NOTA: Ao longo destes artigos, criarei links de ligação a artigos anteriores cujos assuntos estão relacionados.

 

 

No Comments

Leave a Comment