Como remover o gel das unhas sem as danificar?

Abro o computador e penso “sobre o que vou escrever hoje”?…

Há tanto para dizer e escrever, que por vezes não sei por onde começar… ou antes, continuar.

Muitas das técnicas de unhas artificias, ou “estilistas de unhas” não se vêm como pessoas do género científico, mas sim mais como artistas, com o  desejo de serem reconhecidas socialmente pelos seus pares, mais viradas para a parte criativa e pouco focadas nas questões mais técnicas que na realidade fazem parte de tudo o que fazem no seu dia-a-dia.

Os materiais que usamos diariamente nas unhas das nossas clientes, são fruto de muita investigação científica e química, para que seja possível garantir a resistência, durabilidade e qualidade do que fazemos.

São tantas as escolhas no mercado  (mais ou menos diferentes) mas que na realidade são extremamente importantes, e dão resposta a diferentes necessidades.

São muitas as clientes que já tiveram uma má experiência com as “unhas de gel“. Ora isto levanta uma questão… Porquê? 

  1. É o gel que danifica as unhas?…
  2. É quem o aplica que as estraga?…
  3. É o remover?…

Quando falamos do gel, estamos a falar na maioria das vezes em resinas reticuladas de metacrilatos.

E pronto, dizem vocês, lá vêm os palavrões técnicos, mas na verdade, estamos a falar de químicos muito semelhantes aos usados na indústria das próteses dentárias, mais precisamente naquelas resinas que nos aplicam nas cavidades dentárias após o tratamento de uma cárie. Já repararam que os dentistas curam essas resinas com uma luz azulada (na realidade é uma luz UV)?

Então, isto “espremido” o que é que significa?…

Vamos usar um pouco da nossa imaginação…

Imaginem as moléculas do gel como pérolas que se interligam numa malha apertada e cruzada. Chamamos-lhe de reticulação ou “crosslink”.

Quanto mais apertada esta malha, mais rijo e resistente se torna o gel, o que também otorna mais difícil de remover. De natureza quase 100% reactiva, (significa que sofre alterações químicas), é resistente a uma remoção química com solventes, o que o  torna ideal para quem mergulha as unhas regularmente em água ou outros produtos químicos.

O gel usado para reforçar as unhas naturais é feito de modo a suportar o seu próprio peso quando usado para criar as extensões de unhas, além de ter de suportar o desgaste médio do usuário.

Respondendo então à pergunta:

 

  1. O gel não é minimamente responsável por qualquer dano, a não ser que a sua origem seja dúbia, ou que não esteja de acordo com as normativas europeias, o que é extremamente fácil de verificar através do portal do CPNP
  2.  Há uma diferença entre bons e maus profissionais, entre boa e má formação e certificação, e sim, é um investimento, (o que serve também de bitola, pois um bom profissional, nunca irá cobrar um preço “low cost”, sem contar nos 23% de IVA inseridos no preço final). Saber como preparar as unhas para a aplicação do gel, assim como a esterilização e manutenção de todo o material tem um peso relevante na saúde das unhas naturais. E sim, um mau profissional pode danificar as unhas. NOTA: uma cliente que não cuide das unhas pode ser tão ou mais perigosa do que um mau profissional, porque como eu digo sempre, o gel não é titânio, e se não houver algum cuidado no modo como usamos as unhas, acabamos por as danificar – a não ser que fiquem com o look “caramelos” como eu lhes chamo (aí, conseguem ter caramelos à prova de bala). pois há uma relação entre a espessura do material e a sua resistência.
  3. A remoção sim, pode danificar as unhas naturais, pois como expliquei umas quantas linhas acima, o gel não é passível de ser solvido, pelo que não recomendo nunca uma remoção total. Se tentarmos remover o gel na sua totalidade, o que passa pelo uso de utensílios abrasivos, sejam as limas, ou o uso do micro-motor (broca), acabamos por limar a unha natural, o que a enfraquece. Quem é que nunca ouviu da boca de uma conhecida “fiz unhas de gel e quando as tirei, as minhas unhas estavam papel”?

Qual a solução?

Simples, em vez de uma remoção completa, passar por umas quantas aplicações de verniz de gel para fazer o “desmame” do gel, de uma forma mais segura e menos danosa.

P.S. Para quem tem na ideia fazer as unhas para ir a um casamento ou qualquer outro tipo de evento e não quer continuar, recomendo o uso do acrílico.

Até à próxima!

 

 

 

 

 

 

No Comments

Leave a Comment