E pisca, pisca! Extensão de Pestanas

Hoje tenho de começar por me desculpar pela ausência. Por muito cliché que possa parecer, o tempo voa, e sem dar por isso, dias, semanas e meses atropelam-se no “lufa, lufa” diário.

Após demorada discussão com os meus botões (sim, sou daquelas que fala sozinha), resolvi abordar um tema do qual ainda não falei, as Extensões de Pestanas.

Cada vez mais procuradas, são um “must have” por este mundo fora, e  estão a ganhar popularidade neste nosso cantinho à beira-mar plantado.

Como em tudo o que diz respeito ao mundo da beleza e bem-estar, os nomes são mais que muitos, mas na verdade, e bem “espremido”, temos dois tipos de serviços dentro das extensões de pestanas: as Fio-a-Fio, também conhecido como a técnica Japonesa (é nesta altura que dizemos “Arigatô”?), e as de Volume.

Ora então, resumindo e baralhando, as Fio-a-Fio, foram as primeiras a surgir no mercado, seguidas um tempo depois pelas de Volume.

Como é que isto funciona?… Primeiro que tudo, há que fechar os olhos (geralmente aconselhamos as clientes a fazer uma “soneca” ou até quem sabe, dedicarem-se a uma horita de introspecção, meditação, ou programar a semana que se lhes avizinha). Claro está, que também temos aquelas clientes com as quais gostamos de dar “dois dedos de conversa”.

Agora, imaginem as vossas pestanas como uma linha de fios (no caso das nossas pestanas, temos mais do que uma fileira, pois as pestanas naturais não crescem todas em linha recta). A profissional escolhida por si, separa uma única pestana e com uma resina específica para esse fim, cola uma outra pestana (de origem sintética), com uma espessura e comprimento superior à natural, e por aí em diante – esta é a técnica do fio-a-fio.

Diz a regra que o comprimento vai aumentando do canto inferior do olho ao exterior, mas aí as técnicas, tipos de olho e os resultados pretendidos podem alterar a medida com a qual finalizamos o canto.

Existem várias curvaturas, comprimentos e looks com nomes diversos, mas o meu conselho é: Deixem a profissional que vos presta o serviço escolher o que acha mais adequado para si, visto que da ideia que nós temos do que queremos, ao resultado final vai uma grande diferença!

Então e as de Volume?…. Confesso que são as minhas favoritas! De espessura reduzida e os mais variados comprimentos e curvaturas, permitem-nos “brincar”! Mais leves e finas, permitem acrescentar mais volume, mas ao mesmo tempo manter um ar natural, sem a sensação de “pala” (isto hoje está cheio de “aspas”)!

Vários são os nomes que lhes são dados: 2D, 3D, 5D, Russian, e por aí fora.

A grande diferença está na quantidade de pestanas usada por leque de pestanas: 2, 3 , 4 ou muitas! Esmifrando aqui a descrição mais um bocadinho sem ser demasiado técnica, a profissional por vós escolhida, faz manualmente os leques com a quantidade de pestanas pretendidas e cola esse mesmo leque em apenas uma das vossas pestanas naturais.

Ora existe a ideia que as pestanas de volume dão sempre um ar pesado, como se tivéssemos uma pala negra sobre os olhos, tipo boneca artificial. PERMITAM-ME DISCORDAR!

Se estiverem nas mãos de um bom profissional, verão que conseguem um look natural, com volume extra, e uma leveza fantástica!

P.S. Advirto para o facto de que um trabalho para ter este nível de qualidade exige know how e muita práctica por parte da profissional, assim como material de qualidade e tempo. Não é possível despachar um trabalho de qualidade em 45 minutos!

Para não me prolongar mais, prometo no próximo explicar a diferença entre curvaturas, comprimentos, e tipos de pestanas.

Até breve!

 

 

 

No Comments

Leave a Comment